"Na Natureza, nada se cria, nada se perde, tudo se transforma."

Lavoisier

Alma

Desde os " Capitães da Areia"  que não me emocinava tanto a ler um livro.... comprei (confesso) movida mais pela curiosidade do que outro motivo qualquer.... surpreendente....



Luisa Castel-Branco conseguiu fazer de uma história igual a tantas outras, algo de transcendente...


“Na noite em que nasceste, madrugada adentro, coisas estranhas aconteceram.”


Começa assim a história de Alma. Depois dessa madrugada o destino da criança de cabelos cor de fogo estava traçado. Particularmente dotada, inteligente, sensível e com uma percepção paranormal da realidade, Alma é olhada na pequena aldeia como um ser estranho. Rejeitada pela família e pelo povo, encontra refúgio junto de uma velha mulher, a Ti Ifigénia, também ela isolada e considerada bruxa.


Num dia de Outono, a mãe de Alma, que tinha como verdade assente que a filha era um caso perdido, envia-a para Lisboa como criada de servir. Na casa de Dona Sofia, a menina de cabelos cor de fogo é acolhida e educada como uma filha e pela primeira vez Alma sente-se amada e desejada. A partir dali, o seu futuro será, para o bem e para o mal, para o melhor e para o pior, completamente diferente do seu passado.


Um retrato impressionante do Portugal profundo dos anos 50. Um mundo rural dominado por medos, superstições e ignorância. Um mundo da capital do país em que a mentalidade burguesa desconfia de todos os comportamentos que fogem dos estereótipos da época.

A história de Alma atravessa-se com histórias de muitas vidas, seres de luz, que, mesmo num ambiente hostil e com um destino que rouba à nascença a felicidade e o futuro, iluminam caminhos.




Read more: http://www.portaldaliteratura.com/livros.php?livro=4323#ixzz1Kf9iFRVb

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails